ABRIR apóia pesquisa com Crianças Imigrantes e Não-documentadas

Ana Souza, diretora da ABRIR, desenvolve uma pesquisa para entender as experiências e a vida cotidiana de crianças e adolescentes com status imigratório irregular no Reino Unido. O projeto está sendo desenvolvido através do Centro de Migração da Universidade de Oxford (COMPAS), juntamente com o Instituto para o Estudo de Migração Internacional da Universidade de Georgetown, em Washington DC (Estados Unidos).

O projeto tem como objetivo avançar o conhecimento acerca das experiências e o cotidiano de vida das crianças em situação irregular, para lançar luz sobre os desafios enfrentados pelas comunidades a quais eles fazem parte e explorar os serviços e recursos disponíveis a eles, em especial em relação à saúde, à educação e mercado de trabalho.

O projeto visa examinar as relações entre a situação irregular das crianças e sua “raça”, etnia, gênero, religião, pobreza, habitação e segregação residencial, bem como os desafios enfrentados pelos prestadores de serviços em relação a este grupo de crianças.

Como muitos países da União Européia estão experimentando níveis recorde de migração não autorizada, e parte significativa destes migrantes são crianças – isto é, pessoas menores de 18 anos, daí vem a importância deste estudo. Afinal, embora haja um amplo reconhecimento da importância de proteger as crianças nas políticas públicas tradicionais, os governos enfrentam o desafio de como cumprir com suas obrigações internacionais e abordar as necessidades de proteção a este grupo específico de menores

Financiado pela Cadbury Barrow Trust, a pesquisa é parte de um projeto comparativo sobre as crianças em situação irregular nos Estados Unidos e do Reino Unido realizado em colaboração com o Instituto para o Estudo das Migrações Internacionais, da Universidade de Georgetown, Washington DC, e na Universidade de Harvard Comissão de Estudos dos Direitos Humanos. A pesquisa tem como foco crianças e adolescentes provenientes do Brasil, Afeganistão, China, Jamaica, Turquia e Nigéria e, por isso, envolve pesquisadores destas comunidades que são responsáveis por contatar e entrevistar as mães e/ou as crianças e os adolescentes.

Como contribuir para a pesquisa

Para ajudar na pesquisa, é só entrar em contato com a pesquisadora Ana Souza, através do email ou pelo telefone 07505 374 079.

Perfil dos participantes

Famílias com filhos de 0 a 18 anos de idade que morem em Birmingham ou em Londres.

Garantias

Os pesquisadores não compartilharão as informações fornecidas com nenhuma autoridade ou pessoa que não faça parte da equipe de pesquisa, portanto, fique tranquilo! Seu nome e qualquer informação que possa identificá-lo serão modificados. Você poderá ainda escolher um nome falso para representá-lo em nossos relatórios.

Relatório Final

O relatório final poderá ser acessado gratuitamente pelo COMPAS no seguinte endereço: http://www.compas.ox.ac.uk/research/state/undocumented-migrant-children-in-the-uk. E também poderá ser enviado aos interessados. É só nos escrever um email ou nos ligar.

Anúncios

Publicado em 15/10/2010, em Notícias ABRIR. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s