Saudade importante

O Blog-tim abriu este espaço para que crianças, adolescentes e jovens também escrevam sobre suas experiências com bilinguismo. Nesse segundo artigo da série, Vinicius, de 17 anos, não só compartilha sua experiência com línguas diferentes em países diferentes, mas também nos mostra o seu talento como escritor.

Vinicius por ele mesmo

Nasci em Porto Alegre mas cedo fui trazido à Inglaterra: aos três anos já frequentava o jardim de infância da Mora Primary School em Londres. Foi lá que comecei a conviver com a língua inglesa e com diversas culturas. Por diversas culturas, só quem conheceu Londres a fundo sabe o que isso significa. Restaurante da rua é tibetano, o bar da paralela é italiano, o boteco da esquina é dos indianos e assim vai, e vai mundo a fora. Em Londres fiquei até 2003 (tinha nove anos). Foi quando fui levado de volta a Porto Alegre.

Talvez essa decisão, tomada por meus pais, tenha sido em grande parte influenciada por mim. Eu adorava passar o verão com a família, amigos de infância e toda a brasileirada reunida. Muitos e muitos passeios belíssimos por Santa Catarina e Serra Gaúcha nesses tempos. Moramos no centro de Porto Alegre e frequentei um colégio Lassalista até finalizar o ensino médio. Eu lembro de não ter tido grandes dificuldades com a língua, especialmente porque em casa, quando morávamos em Londres, era a portuguesa. Outro fator que não me deixou perder o português foi a escola brasileira BrEACC que eu frequentava semanalmente.

Finalizei o Ensino Médio com média em todas as discilpinas. Inglês nas escola? Nem sei se peguei num livro pra estudar, Achava que sabia de tudo em inglês. Mesmo assim, tive que remar forte nos últimos trimestres. Aquela coisa toda de vestibular estava ao meu redor e infelizmente não tive sucesso. Agora não sei se foi infelizmente porque voltei à Inglaterra em 2011, desta vez, sem meus pais.

Graças aos contatos que aproveitei dos meu pais, consegui me manter dois meses em Londres até que comecei a estudar Design de Produto, Psicologia, Dramaturgia e Artes Plásticas em Devon. Atualmente são essas as disciplinas que curso como A-Levels. Os planos daqui em diante eu ainda não tenho certeza. Quero ter um curso universitário no meu currículo. Agora, se isso será possível aqui na Inglaterra ou se será numa Federal no Brasil


saudade importante

Caí no outro lado do oceano.
Queria descrever tudo que deixei pra trás, mas sinceramente estou mais preocupado com o que poderá aparecer aqui.
Não que não existisse amor com afeto por aí.
Já tava mais do que na hora de criar coragem, andar sozinho, sem ter que dar as mãos pra atravessar as ruas, perguntar com a minha própria voz e crescer com minhas dúvidas.
(re)Conhecer passos que já tinha dado, e repor meus pés nas pegadas antigas, só pra não deixar rastros, ou despistar algo, só pra poder te abraçar tranquilamente e trazer-te comigo para mostrar a arquitetura inigualável, pular rios e brincarmos feito crianças.
Impressiono-me ainda com a nossa velocidade, e parece que não é da espécie easy come, easy go. Congruente a tudo que já passei.
Aqui?Só falta a tua palma na minha.


Quer mais?
Visite o blog do Vinicius http://reuniaoprebaile.tumblr.com

E você?
Contribua com o Blog-tim também. Escreva para info@abrir.org.uk e nos conte como é crescer falando Português, Inglês e/ou outras línguas, como é viver na Inglatera ou no Brasil ou como é visitar os dois paises.

Os textos podem ser escritos em Português, Inglês ou nas duas línguas!

Anúncios

Publicado em 18/05/2012, em Bilinguismo. Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Kenya Silva

    Que sensibilidade, menino! Parabens!
    “Perguntar com a minha propria voz”…Lindo!

  2. Que lindo depoimento!
    Fez-me pensar que voltar ao Brasil não é o fim do bilingualismo na criança, nem do interesse ao multiculturalismo que é tão natural Londres.

  3. Alice Daniel

    Toda vez que leio um texto escrito por ti, me emociono e me vem um orgulho imenso. Tua experiência de vida até aqui e toda que ainda está por vir, te fará cada vez mais crescer como pessoa. Poucos podem tirar tanto proveito e sei que saberás colher os frutos de forma explêndida.

  4. Vini!!! Lindo texto, comovente e bem escrito. Que felicidade, leveza e aprendizado te abracem por aí e por onde tu estiver. Saudade, querido!

  5. VINICIUS GUBERT

    Muito obrigado aos que leram! Li e reli esse envio e já tem coisas que eu teria escrito diferente, mas cá está um resumo da minha experiência com o tal bilinguismo aonde a moral da história é: se a semente for plantada e cudiada, o multiculturalismo está debaixo do nariz pela vida interia!
    Abraço saudoso e carinhoso de um humano agradecido por essa oportunidade.

Comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s