Formada no Brasil e reconhecida pelo sistema educacional inglês

No quinto artigo da série escrita por brasileiros que trabalham em escolas britânicas, Aline Belisário explica aos leitores do Blog-tim como teve sua experiência como professora no Brasil reconhecida na Inglaterra.

A vinda

Cheguei em Londres em 1998. Inicialmente, a intenção era ficar na Inglaterra enquanto meu marido fazia um curso de paisagismo. Dois anos depois, tomei conhecimento de que o governo britânico tinha um programa de recrutamento para outras profissões, entre elas, a de professora. Então, começamos a pensar na possibilidade de ficarmos na Inglaterra.

O começo

Eu entendia bem o inglês, mas falava pouco. Então, comecei a estudar com mais afinco. Escutava fitas cassetes da Callan dia e noite! Naquele momento da vida eu evitava fazer amizade com muitos brasileiros porque queria aprender inglês rápido, mas isso não impediu que eu me envolvesse com o pessoal do BrEACC. Lá eu conheci  um monte de gente bacana, incluindo a Ana. Por um período curto eu ajudei a coordenar o BrEACC.

A primeira escola inglesa

No ano seguinte, eu tomei coragem e me candidatei para uma vaga de professora em uma escola em Peckham. Para a minha surpresa, eles me ofereceram a vaga! A escola pediu o meu visto e lá fui eu trabalhar. 90% das crianças eram de origem nigeriana e eu quase não entendia o que eles falavam. Era uma escola horrível: a diretora, as crianças, o lugar, tudo!

A mudança acertada

Depois de seis meses, quis mudar e enviei meu currículo para quase todos os empregos que estavam anunciados no Time Education Supplement (TES). Fui chamada para duas entrevistas e as duas escolas me selecionaram! Escolhi a escola de Surrey que é onde eu ainda estou, dez anos depois.

O reconhecimento da experiência no Brasil

Quando eu comecei a trabalhar, eu era considerada como não qualificada. Eu me qualifiquei na Inglaterra através do programa Overseas Trained Teacher (OTT). No começo do processo, eu tive que mandar traduzir os meu diplomas e a carga horária de todas as disciplinas que eu tinha estudado no Brasil. Foi checado se a faculdade existia mesmo e se o curso era compatível com o que se é estudado aqui. Também anexei cartas com referências das escolas que eu já tinha trabalhado no Brasil. Um representante do OTT observou minhas aulas e, depois de analisar todos os documentos e a avaliação do meu desempenho como professor, chegou à conclusão que eu não precisava de nenhum treinamento extra. Eu só tive que organizar um portifólio do meu trabalho  de acordo com o que é esperado no curso de Postgraduate Certificate in Education (PGCE). Uma das professoras foi nomeada para ser minha mentora e eu trabalhei por mais ou menos 6 meses coletando as evidências necessárias. Quando o portifólio ficou pronto, minha aula foi observada mais uma vez, e esse foi o final desse capitulo.

A atuação no sistema educacional inglês

Eu continuo na sala de aula e agora a minha filha mais velha estuda na escola onde eu trabalho. Sou coordenadora de arte e também trabalho monitorando estudantes do curso de pós graduação em educação, o PGCE. Alguns estudantes acham engraçado ter uma brasileira como monitora, mas quase sempre me sinto respeitada e valorizada pelo meu trabalho e pelo que trago de diferente em termos de cultura.
As crianças que passam pela minha sala invariavelmente aprendem a jogar queimada e a dançar quadrilha. No ano passado, eu levei um grupo de capoeira para fazer uma apresentação para pais e crianças. Todo mundo adorou!.

Anúncios

Publicado em 29/06/2012, em Espaço do Professor. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Élida Mamedio

    Olá querida adorei sua história!!! Sou professora aqui no Brasil já algum tempo… Sou formada em Letras Português/ Inglês… Pretendo ir a Londres fazer algum curso para aprimorar meu inglês… Mas estou meio perdida qual curso me escrever… Vc poderia me ajudar??? Ao chegar em Londres quero muito trabalhar mas quero em escolas não precisa ser necessariamente como professora!!! Mas não gostaria eu de sair do meu foco!!! Quais sites de empregos especializados nesta área?? Será fácil para mim?? Desde já te agradeço… bjuuu

    • infoblogabrirorg

      Élida, ficamos contentes em saber que as matérias do Blog-Abrir lhe ajudaram a esclarecer suas dúvidas. Seguem abaixos comentários sobre as suas outras perguntas.

      1. Pense bem sobre seus interesses e os benefícios para sua carreira em relação a vir a Londres para fazer uma pós-graduação ou estudar inglês. Uma decisão bem pessoal que deve ser considerada com cuidado.

      2. Quanto a cursar o PGCE, visite os links fornecidos nas diversas matérias no Blog-Abrir para se informar melhor sobre os detalhes do curso e checar sobre o benefício que esse curso traria para sua carreira. Talvez seja útil você entrar em contato diretamente com as universidades que oferecem o curso para checar como sua experiência se adequa a ele. Veja os links nas matérias do Blog e também no site da Abrir.

      3. Em relação as questões de visto, ressaltamos que apenas indivíduos/orgãos credenciados pelo governo inglês podem orientar sobre questões relacionadas a imigração. Talvez valha a pena você consultar a Casa do Brasil em Londres (www.casadobrasil.org.uk).

      4. Para trabalhar como professora, sugerimos que leia as matérias no Blog e veja os links de agências de trabalho no site da Abrir. Ressaltamos porém que a Abrir nao é uma agência de empregos. Apenas anunciamos, no mural, vagas das quais tomamos conhecimento. Talvez valha a pena acompanhar as notícias nesse espaço.

      Boa sorte com seus planos!

      Equipe Abrir

Comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s