Arquivo mensal: setembro 2013

Aluna brasileira destaca-se em escola inglesa!

Giovanna 3

fonte: foto cedida pela entrevistada

Conheça Giovanna de Santana

Giovanna é ex-aluna da escola primária católica St Anne’s  em Whitechapel e frequenta as aulas de Português do grupo Infância Missionária Meu Pequeno Jesus , na igreja vizinha à escola. No final do ano letivo do ano de 2013, Giovanna recebeu o prêmio MICHAEL MILLS , destacando-se como aluna exemplar do ano 6, o último ano antes de ingressar na aqui chamada escola secundária.

Giovanna conta para o Blogtim ABRIR o que significou ganhar o prêmio e deixa sua mensagem para as outras crianças anglo-brasileiras que vivem em Londres.

Blogtim ABRIR:  Fale um pouco sobre você para nossos leitores. 

Giovanna: Hi I’m Giovanna. I’m eleven years old, I’m from Brazil and I live in London. I came to London when I was 2 years old. I love London and have lived here ever since!

Blogtim ABRIR:  O que significa o prêmio Michael Mills.

Giovanna: Being awarded the MICHAEL MILLS TROPHEY means that I’m admired by all my peers and I’m a good role model to all.

Blogtim ABRIR: Qual a importância desse prêmio pra você?

Giovanna: The importance to me is that I’ve shown I can be trusted and my peers appreciate all the things I have done for them. It also shows how much they all care for me because all the other prizes are chosen by the teachers, but this is the most special prize because the children in year six vote for who they think deserves to be awarded!

Blogtim ABRIR: O que muda para você após receber esse reconhecimento?

Giovanna: I’m more respected by other children and the teachers think the year six children voted for the right person.

Blogtim ABRIR:  Tem muitos amigos na escola?

Giovanna:  I have three Brazilian friends, Yara, Nicole and Maria Eduarda.  I have many Portuguese friends and my best friend is one of them, her name is Yasmin. She is great to be around and never lets me down. She is the best person I could ever have as a best friend. I have many best friends from other countries including: Spain (Marisa and Elizabeth, the twins), Colombia (Melanie),Congo (Jennifer), Bangladesh (Josephine and Rose) and the Philippines (twinkle Rose and Sarah Jane, also twins).

Blogtim ABRIR:  O que você acha mais legal em saber falar outras línguas?

Giovanna: I think it’s good to be able to speak three languages because I can be someone’s translator if they ever need help to speak in another language. I can speak in English, Portuguese and a bit of Spanish if I ever go to one of these countries, I will be able to understand what they are saying!

Blogtim ABRIR: Que mensagem você gostaria de deixar para outras crianças brasileiras ou pais de crianças brasileiras sobre a importância de se falar Português?

Giovanna: I would like to say to the children and parents of Brazil that it is very important to speak in Portuguese, because it is the language that their parents speak, so they will need to learn it to communicate with them. In my opinion it is the most beautiful language of all languages!

[NOTA: Essa entrevista foi feita por email e a Giovanna pode escolher a língua em que gostaria de responder as perguntas. Como ela frequenta a escola inglesa, para ela foi natural escrever em inglês, apesar do seu carinho em falar português.]

 

Quem é mais importante no processo de aprendizado linguístico, a mãe ou o pai?

por Malu Mancinelli

 Quem é mais importante no processo de aprendizado linguístico, a mãe ou o pai?

A observação de famílias bilingues sempre me levou a pensar que, se o idioma minoritário é o falado pela mãe, as crianças têm um melhor desempenho linguístico nesse segundo idioma. Aqui na Suíça, entretanto, conheço alguns casais formados por pais brasileiros e mães suíças (ou francesa, em um caso), cujos filhos falam corretamente o português. Quais são os fatores que levam a criança a preferir este ou aquele idioma?

BILINGUISMO HEADING

Em famílias cujo pai trabalha fora e são as mães quem fica em casa e cria os filhos, não causa surpresa o uso do termo “língua materna”. Nessa situação, a quantidade de tempo que a mãe passa com a criança afeta consideravelmente o

desenvolvimento linguístico dos filhos. Vivendo numa comunidade ou região de idioma diferente do seu, muitas mães preferem falar com seus filhos em sua primeira língua. Para elas, falar um idioma diferente (mesmo sendo este o idioma do pai, da comunidade local ou o idioma majoritário do país) pode parecer artificial e distante. Uma amiga bilíngue – italiano e português – de São Paulo nunca soube dizer qual era seu idioma materno, até que nasceu sua filha. Ela descobriu que era impossível usar português para falar com o bebê!

Algumas mães no entanto escolhem não falar seu idioma materno com os filhos, por julgarem mais sensato, eficiente e educacional o uso do idioma local, o idioma do pai ou o utilizado na escola. Pesquisas mostram que a maior parte da interação linguística da mãe com os filhos baseia-se em funções domésticas elementares (alimentar, dar banho, vestir, disciplinar).

Tarefa de pai é brincadeira!!!!!

Os pais têm oportunidade de brincar com os filhos, o que permite um considerável estímulo linguístico. Porém, como essa interação é na maioria das vezes centrada na criança, a contribuição dos pais para o desenvolvimento da linguagem dos filhos acaba por ser desvalorizada. Os pais precisam saber da importância do seu papel no desenvolvimento linguístico da criança, pois hoje, com o aumento do tempo destinado ao lazer, os pais passam mais tempo com os filhos e sua influência linguística se torna mais importante.

Um bom exemplo é o novo jogo preferido do João, 4 anos: dono de mercadinho. Uma cestinha daquelas de antigamente, cheias de miniaturas dos produtos que compramos no supermercado, desde sabão em pó e papel higiênico até pizza e geléia. São horas brincando em português com um vocabulário que ele só vivencia em francês (além de dar uma noção básica de dinheiro, troco, valores)!

Não podemos esquecer dos pais que ficam em casa cuidando dos filhos enquanto as mães saem para trabalhar, ou pai e mãe que decidem trabalhar períodos flexíveis para dividir o tempo de criação dos filhos.

Aqui em casa, além da brincadeira, o pai participa da rotina jantar – banho – hora de dormir. E conta histórias, aquelas dos livros e as outras absurdas que o João pede pra ele inventar, com os personagens e cenários que o filho decide. Tudo em português.

Em algumas famílias (o pai fala um idioma, a mãe fala outro) ambos os pais promovem o bilinguismo.Neste caso, tanto o pai quanto a mãe precisam saber da importância de seu papel no desenvolvimento da criança. Os pais (e as mães também!) precisam ser encorajados a conversar com os filhos desde bebês, desde os estágios anteriores à fala. Muito antes de dizer a primeira palavra, o bebê reconhece os sons do segundo idioma, seja ele falado pelo pai ou pela mãe. Conforme a criança vai crescendo, o pai (e a mãe) precisa variar os contextos de uso da língua, para proporcionar à criança uma experiência linguística mais abrangente.

A opinião do pai é importante

O pai também determina a atitude que a criança vai ter perante os idiomas. Se o pai é contra o bilinguismo, ou se não gosta quando a mãe fala com a criança em seu idioma nativo, a criança percebe e seu comportamento é afetado. Por outro lado, se o pai encoraja o bilinguismo, se valoriza a criança quando ela fala com a mãe no idioma desta, a criança reflete o comportamento e aprende melhor.

O fato é que ambos os pais são muito importantes no desenvolvimento linguístico da criança, ambos têm que valorizar a língua que a criança ouve e usa com cada um dos pais.É preciso estabelecer uma engenharia do ambiente linguístico em casa: assim como as famílias discutem o balanço nutricional das refeições da família, a dieta linguística também precisa ser discutida. Tanto o pai como a mãe são “chefs” na cozinha dos idiomas.

* As discussões contidas neste artigo são baseadas no livro A Parent`s and teacher`s Guide to Bilinguism, de Colin Baker.

Calling all ESOL tutors/ teaching assistants

British Council logo 2 ESOL NEXUS logo

 

British Council Nexus  are looking for any interested ESOL tutors/ teaching assistants and also LGBT ESOL learners who would be willing to be interviewed.

This is  project currently under way, into lives and issues relating to LGBT in the ESOL classroom. All views, positions, experiences are most welcome for inclusion in the research, and all contacts will be completely anonymised and data retained confidentially by me.

Do get in touch with Sheila Macdonald EdD, ESOL researcher and tutor on tefl@SHEILAMACDONALD.CO.UK , or check out the link for more information : http://esol.britishcouncil.org/exploring-lgbt-lives-and-issues-adult-esol

We’d love to hear from you – anywhere in the UK – although we may not have time to get to everyone before the Xmas deadline!!  ps-  if you are interested but are not currently an ESOL tutor, then do get in touch – we may be able to develop a section regarding managers or teacher trainers for example, if there is space

We have a new logo!!!

  We have some exciting news! ABRIR-Full-Colour

It’s been in preparation for almost 6 months, but soon we will be launching ABRIR’s new visual identity. Before introducing the look and concept of our new logo, we would like to share some background information about our current branding.

Abrir Logo Final2

The logo that you currently see in our website, blog and social media pages was created at the time of ABRIR’s foundation, back in 2006.  The founders of ABRIR (Ana Souza, Fábio Rodrigues, Deise Rodrigues, Cláudio Souza and Valéria Fleury) considered the need of a logo that could well represent the recently defined missions of the organisation: (1) work as a platform for the sharing of bilingual children’s experience, (2)  promote the teaching of Portuguese and (3) promote the  Brazilian culture in the UK.  Therefore, the founders worked on the idea of having children representing the three basic ethnicities of Brazilians (Indigenous, Black and European). These ideas was combined with a visual representation of a bridge between Brazilian and British cultures, through their flags.

The image of an open door was also added to  play with the organisation’s name, as ‘ABRIR’ (when read as a word  rather than abbreviation/initials) in Portuguese means the verb ‘to open’.  Revista Brasil.etc offered to develop these ideas and we will always be grateful to them for having created our first logo and  which has  represented our organisation for more than five years.

In the beginning of this year, the arrival of Fabiano Ferreira, our new HR Director, and his background in strategic planning led us to undergo a brand review. Having consulted our volunteers and board members, we agreed that ABRIR was already known by its work and we didn’t need to try to convey all in one visual message.

We were pleased to commission Colin Hughes, from Juxapo – Creative Design http://juxapo.com/, to work on our new logo and after some brainstorming sessions with the board, we came up with a very neat and clear idea for a logo.

ABRIR-Logo-Colour

  ABRIR’s new identity now consists of a logo and a tagline. The logo is a typographic     representation of the organisation’s name with the icon of an opening door incorporated into the letter ‘I’.  With the tagline ‘Opening Doors to Bilingualism’, we hope to summarise the main objective of this charitable organisation, which is to help people appreciate the benefits of speaking more than one language, especially within children and speakers of Portuguese, through the provision of services to parents, teachers, schools and any interested member of the public in general.

Abrir new logo+tagline _ low res. email

We have just started to use the new brand in our platforms of communication and hope to have it fully in use  in the next months. We would like to thank everyone involved in this process.

We hope you like our new look and that you keep following us through our blog and Facebook.

ABRIR’s Communications team 

Want to give your opinion?  Make a comment or send an email to marcia@abrir.org.uk