Segundo idioma: quando começar?

Malu e fiilhos

Malu e fiilhos

por Malu Mancinelli

Semana passada, outra família se mudou para o nosso prédio. Como de costume, uma família estrangeira, inglesa desta vez. Eles vieram com uma filha de dois anos e um bebê está a caminho. A conversa de corredor sempre acaba em pedidos de indicações sobre creche, escola e babá, e a mãe contou que a menina vai a uma creche bilingue (inglês-francês) mas que cogita mudá-la para a creche que fica na nossa rua, francófona, “quando a menina completar três anos, pois então ela já terá o inglês bem claro na cabeça e já teria condições para aprender o segundo idioma”.

Claro que eu sorri e disse “sim, é uma ótima idade para começar o francês, e a creche aqui da rua é ótima”, mas fico me perguntando de onde as pessoas tiram tantas teorias sobre quando se deve começar um segundo idioma. O momento certo é quando existe a necessidade, ou quando existe uma oportunidade!

clockMomento certo?

Desenvolver dois idiomas ao mesmo tempo, ou aprender um idioma e depois outro são duas estratégias eficientes para se chegar ao bilinguismo. Seja por meio de aulas, imersão em uma nova comunidade, ou mesmo pela mudança do idioma utilizado em casa, crianças e adultos podem se tornar fluentes em um segundo idioma, mais rapidamente do que crianças pequenas. Fluência em um segundo idioma é possível em qualquer idade.

No entanto, se houver oportunidade, é sempre melhor começar antes, devido à facilidade com que as crianças pequenas adquirem a linguagem e a tendência a ter uma melhor pronúncia se aprendem cedo. O bilinguismo precoce proporciona vantagens cognitivas e sociais imediatas, a a longo prazo também possibilidades econômicas, interpessoais e culturais. Se a situação familiar permitir, o melhor conselho é começar o quanto antes. Crianças pequenas aprendem com menos esforço, para elas é apenas outra brincadeira, outro jogo, outro código.

Situações especiais

É claro que cada família tem suas necessidades, e nem sempre é preferível deixar que as crianças aprendam dois idiomas ao mesmo tempo, como por exemplo em situações de “bilinguismo subtrativo”.  Neste caso, a segunda língua tende a substituir a língua materna, a qual é, normalmente, vista como língua minoritária e de menos prestígio social e econômico. O contexto desvaloriza a primeira língua aprendida. Sendo assim,  os pais podem se concentrar no idioma minoritário para que este seja plenamente aprendido primeiro, e depois, quando em contato com a escola, amigos, a vida social faz com que os segundo idioma seja aprendido rapidamente.

O perigo para essas famílias é que a criança, se exposta aos dois idiomas simultaneamente, use cada vez mais o idioma majoritário por julgar que este tem mais prestígio e mais usos e objetivos. Por esta razão é melhor desenvolver e aprofundar tanto o idioma minoritário quanto a sua cultura, e deixar que a criança aprenda o idioma majoritário quando iniciar o processo escolar, por volta dos 5 anos.

* As discussões contidas neste artigo são baseadas no livro A Parent`s and teacher`s Guide to Bilinguism, de Colin Baker.

Anúncios

Publicado em 23/03/2014, em Bilinguismo. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Oi tudo bem, sou a Juliana e me mudei ha 4 meses para os EUA. Tenho um filho de 5anos que esta frequentando a escola aqui(Kindergarten) ele esta consegue entender e esta comecando a se comunicar na lingua inglesa. Na escola ele esta aprendendo a ler e a escrever em ingles. Tenho uma grande duvida: Ele não chegou a ser alfabetizado em portugues no Brasil, eu devo esperar ele aprender a ler e escrever em ingles para depois ensina-lo em portugues ou é indicado a já ir ensinando ele a ler e escrever em porutugues em casa junto com o ingles: Em casa só conversamos em portugues com ele para ele não perder a fluencia na ligua materna.
    Adorei o blog, estou tendo dificulades de encontrar orientacoes sobre o bilinguismo e os post estão me ajudando muito!
    Juliana

    • Malu Mancinelli

      Oi Juliana

      Que legal que o blog serve de ajuda pra família de vocês! Sobre a alfabetização do seu filho, é importante você saber que ler em um idioma sempre ajuda a leitura no outro idioma também. Não importa se a alfabetização ocorre ao mesmo tempo ou uma depois da outra, o conhecimento que ele tem em um idioma se aplica com algumas alterações ao outro.
      Se o seu filho fala fluentemente portugues e está começando a aprender inglês, eu acho que voce deveria ensiná-lo a ler em português em casa, enquanto a escola se incumbe do inglês. Como ele conhece melhor o português, vai se sentir mais seguro e vai ser mais fácil aprender a ler; por estar mais familiarizado com o vocabulário, ele vai ter mais chance de “adivinhar” a palavra e o sentido dela, e assim vc vai ajudando o trabalho da professora de ingles, que além de alfabetizar, está ensinando seu filho um novo idioma pra ele!

      O livro do Colin Baker, “A parents’ and teachers’ guide to bilingualism”, que eu sempre cito no blog é ótimo. Você tambem poderá gostar de ler os textos do Prof. François Grosjean, um pesquisador suiço, é tudo em inglês. Pesquise na Internet, ele é muito bom.

      Malu Mancinelli

Comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s