Língua Portuguesa: herança ou legado?

Malu e filhos.

Malu e filhos.

Por Malu Mancinelli

A palavra herança

Estava eu sentada num curso sobre POLH (Português como Língua de Herança), quando começa a discussão sobre a palavra “herança”. Seria a língua portuguesa um fardo a ser carregado por esses descendentes que nasceram ou moram fora do Brasil? A palavra herança pode ter um sentido negativo se pensarmos que não houve escolha, seria algo imposto e obrigatório, como a herança genética que tantas vezes predispõe a pessoa a uma doença. Mas e se pensássemos nas histórias (fictícias, nunca conheci uma real!) de pessoas que de repente recebem uma fortuna de um parente distante que sequer conheciam? Neste caso, a herança vem como um presente, um tesouro.

Minha avó sempre dizia que dinheiro a gente ganha e a gente perde, mas a cultura, o conhecimento, esses ficam para sempre com você. Temos então o melhor de dois mundos, pois a nossa língua portuguesa pode ser uma “herança-tesouro” que teremos para sempre.

A importância da postura dos pais

O peso da herança pode ser amenizado, e isso depende muito da postura dos pais. Se o segundo idioma for imposto de maneira arbitrária, a criança pode se fechar e se recusar a falar. Mas se os pais (digo os pais, mas pode ser apenas a mãe, ou apenas o pai, claro) o fizerem de forma natural, falando sempre com os filhos em seu idioma materno, mesmo que a criança responda no idioma predominante (do país onde vive), o conhecimento vai se formando, vai se sedimentando e construindo um repertório linguístico rico. Os pais podem até ficar inseguros achando que a criança não aprende ou que se recusa a aprender, mas assim que houver real necessidade, esse conhecimento virá a tona.

Os benefícios que um “falante passivo” possui

Esse “falante passivo”, que entende tudo o que ouve mas não fala o idioma, se um dia quiser frequentar um curso de POLH, terá muito mais facilidade no momento de aprender o idioma materno dos pais. Ele terá essa memória linguística: todo o vocabulário, modelos de frase, organização da linguagem, linha melódica, um saber construído ao longo de anos ouvindo o idioma dos pais.

A palavra legado

Imagem: Sala.org.uk.

Imagem: Sala.org.uk.

Pensando ainda na “herança” e suas conotações negativas, me vem à cabeça a palavra legado. Dentre muitas definições, encontrei: “Legado cultural –  língua, costumes e tradições, que passam de uma a outra geração” e “legado.-  algo transmitido ou adquirido mas não como herança, é algo deixado para um todo e não só pra um”.

Que um legado seja!

Deixemos então a língua portuguesa como um legado para os nossos filhos. E para os filhos deles. E para toda uma nova geração que desconhece limites geográficos. O país deles agora é o mundo, e nossa missão como pais (e professores) é munir essas crianças de ferramentas para entender, explorar, conhecer, aceitar ou rejeitar as fronteiras entre países.

Anúncios

Publicado em 17/06/2015, em Bilinguismo. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s